CACHAÇA: O BRASIL EM PEQUENAS DOSES

Two Fresh Lime Caipirinhas Brazilian Flag

     Falar de cachaça não é algo fácil, disso todo mundo sabe. Tem gente que ama, tem gente que odeia, porém devemos concordar que há algo na cachaça que instiga a todos: o mistério.

     A cachaça tem características sinestésicas e está presente no cotidiano do brasileiro como parte da sua cultura. Das grandes festas aos famosos botecos, a cachaça se apresenta de diferentes maneiras. Seja na mistura ou na dose, este é um drink arteiro, que vai te conquistando aos poucos, daquele jeitinho brasileiro.

     Um exemplo disso é a relação da cachaça com o mundo. Qual o primeiro drink que praticamente todo estrangeiro pede no Brasil? A caipirinha, é claro! Quem não iria se apaixonar por esse cocktail tipicamente brasileiro?  Rodelas de limão fresco, algumas colheres de açúcar, um pouco de gelo, e o essencial, a cachaça. Com certeza, você ficou com vontade de beber uma caipirinha também.

     A cachaça é o Brasil estampado em cores e histórias. Antigamente, a cachaça era utilizada por escravos dos canaviais como forma de refúgio daquela realidade tormentada. Com o passar do tempo, foi se tornando mais popular entre as classes mais altas, começando a ser reconhecida por seu sabor único, e por seu potencial econômico. Assim, começou a serem exploradas diferentes formas de refinamento da bebida, como o aprimoramento dos alambiques e locais de armazenamento.

     Atualmente, no Brasil, são produzidos 1,2 bilhão de litros de cachaça por ano. Isso representa cerca de 10,5 litros por brasileiro*. Segundo os dados, somos um país bom de copo!

     Existe uma variedade enorme no quesito de sabor e qualidade das cachaças brasileiras, o que as tornam parte de uma rica diversidade cultural. Um festival famoso no país que evidencia isso é o Festival da Cachaça, em Paraty. O mesmo acontece desde 1982, e tem como objetivo apresentar as diversas cachaças ao público do evento, como forma de propagação de sabores e apresentação de novos produtores. Uma das atrações é a exposição dos grandes barris de carvalho, os quais justificam, dependendo de seu material, boa parte do sabor da cachaça.

     Você já se perguntou como a cachaça é feita? Esse é mais um dos porquês que envolvem o mistério desta cativante bebida. A receita simples inclui a colheita e moagem da cana, seguido do processo de fermentação com leveduras que transformam o açúcar em álcool, e por fim a destilação. À partir disso, o produtor pode optar por diferentes formas de envelhecimento da bebida, além de adicionar sabores a mesma, tornando-a assim única.

     Algo interessante também é a quantidade de drinks que podem ser feitos e desenvolvidos com cachaça. Faça nascer o bartender que há dentro de você, e arrisque criar as suas próprias receitas como as deliciosas batidas de frutas, por exemplo.

     Porém, para melhor apreciar uma boa cachaça, nada supera uma ida à tradicional cachaçaria. Além de encontrar uma variedade extensa das mais diversas cachaças, o ambiente descontraído e festivo cativa à todos que por ali acabam esbarrando. Se você ainda não conhece uma, vale a pena conferir!

     Você sabia que existe até um dia específico para celebrar a existência dessa popular bebida? Dia 13 de Setembro, dia nacional da cachaça. Esse dia foi elegido devido à um episódio marcante do século XVII, aonde produtores e fazendeiros do destilado se revoltaram contra a proibição do comércio do mesmo pela Coroa Portuguesa. A Coroa desejava substituir a cachaça por uma bebida tipicamente europeia, porém após o evento conhecido como a Revolta da Cachaça, foi decretada a liberação da bebida.

     Uma curiosidade engraçada sobre a cachaça é a forma como ela é nomeada. Nomes como Boazinha, Meia Lua, Nega Fulô, Gostosa, Caninha da Roça, Nabunda, Amansa Sogra, Whisky de Pobre, Néctar dos Deuses, Madalena, Germana, Segura Pau, entre outros, são comumente encontrados em bares e ilustram o universo do destilado brasileiro. E aí, vai uma “Marvada”?

     Além de ter uma variedade de nomes, a cachaça também pode se dividir em 4 tipos: brancas, envelhecidas, industrial ou artesanal. As brancas se caracterizam por serem cachaças armazenadas em tanques de inox, ou com menor tempo de envelhecimento. As envelhecidas são cachaças armazenadas em barris de madeira, tendo seu gosto apurado pelo tipo de madeira que constituí o barril. Já a industrial é uma cachaça produzida em fábrica, com o sabor não tão apurado. Por fim, a artesanal, a qual tem seu produto final mais puro do que as demais, é destilada em tonéis de cobre.

     Independente do tipo, nome, ou gosto, este destilado com certeza é um histórico companheiro do brasileiro. Seja para acompanhar o churrasco de domingo, ou para agitar o Happy Hour de terça-feira, ela sempre está presente. Existem as mais doces para um paladar sensível, as mais fortes para os corajosos, e até as apimentadas, para aqueles que gostam de brincar com fogo.

     Faça um dia a seguinte experiência, vá a um bar ou cachaçaria, e peça para o bartender lhe servir os mais diferentes tipos de cachaça. Sinta o cheiro, textura e gosto de cada uma que lhe for oferecida. A riqueza e singularidade de cada dose revela ao degustador o universo de características que tal bebida pode ter.

     Pelo Brasil, tal diversidade é explorada em cada região do país de forma diferente. Um exemplo disso se vê no norte do país, onde se cultiva uma planta chamada Jambu. O Jambu tem propriedades anestésicas, e quando entra em contato com a boca proporciona sensações de dormência. Sabendo disso, alguns produtores de cachaça resolveram explorar a planta junto à bebida, criando um drink exclusivo e, diga-se de passagem, muito curioso.

     A cachaça é um símbolo nacional. Com a cara do samba, do futebol, da festa, do churrasco, da praia, do Happy Hour, de cada região do país, do negro, do branco, do índio, do brasileiro, ela se desvenda como uma das raízes do coração verde e amarelo. Esse é o seu mistério. Ela conquista a todos, pois faz parte da nossa história como povo e nação.

     É nosso patrimônio nacional, garantido por decretos como a lei nº 6871/2009, a lei nº 6.291/2012 e pelo projeto Mapa da Cachaça escolhido pelo Ministério da Cultura para representar a gastronomia brasileira durante a Copa do Mundo 2014.

     A cachaça é o Brasil em estado líquido, a riqueza de cores e sabores engarrafada e distribuída pelo mundo. Por isso, brindemos a ela. Saúde!

*Dados segundo o IBRAC, Instituto Brasileiro da Cachaça.

   Gostou deste post? Sua opinião é muito importante para Barman School poder criar conteúdos cada vez melhores. Deixe abaixo o seu comentário e compartilhe!

Responsive image

admin


Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão

Campos obrigatórios são marcados com *